Lose Yourself Here

Unknown Mortal Orchestra – Sex & Food – Album Review

THEY WENT FOR THE ESSENTIAL. Sex & Food. Two of the greatest, most glorious and obviously more satisfying of life. The Unknown Mortal Orchestra referenced by many as the prodigal sons of New Zealand, bringing their totally “soundbreaking” RnB Rock with all the right dusts of Psych, Lo-Fi and Indie. They started with tunes like “Ffunny Ffrends”, still one remarkable anthem of the Indie that has been heard for the last decade and managing to be their most successful in the charts, at least in Mexico.  The band started and released their homonymous first album in 2011 with the above

GUM – The Underdog – Album Review

When one thinks of the origins of the Psych Rock wave that has totally paved this current decade one has to bring about two of its Australian creators that even have some artists exchange. Pond, lead by Nick Allbrook, had as its initial drummer the future leader of Tame Impala, where Allbrook was playing the bass until fully assuming his leading role in Pond. At the same time, another name was common to both bands which evolved into GUM that released today “The Underdog” another piece of this infinite puzzle of spacial music brought to us by this austrALIENS. After Nick

Sinestesia? Ouçam Galgo

Quantas vezes uma música vos remete para um determinado estado de espírito, um certo cenário projetado pela mescla entre a vossa memória e imaginação? Quantas vezes ouvem algo doce e acolhedor, quente de Verão, que vos pinta a vista com um filtro amarelo de quem viaja pela costa e ostenta o mar? Quantas vezes aquela certa música guardada para o conforto de um cobertor vos faz sentir que o mundo lá fora não possui sobressaltos, é somente desvanecido, cinza como aguarela molhada de chuva? Não se trata de um pensamento abstrato, de um devaneio criativo de quem imagina como se

Vodafone Paredes de Coura’s 25th Edition: An experience & our favourites

Once again festival season is upon us, across Europe the dates and line-ups are set whilst people plan out what to attend, who to see and with what money. Just Musically Speaking has already covered what to expect this year from NOS Primavera Sound, but I wanted to take this opportunity to introduce Portugal’s other amazing festival Vodafone Paredes de Coura, a gathering of artists, music-lovers and people of all walks of life for a magical event. For those who may not be familiar with this gathering, here is my recollection of last year’s 25th edition and who to look

Monarchy – New single “Mid:night” & their upcoming album

Synth-pop duo Monarchy, made up of Andrew Armstrong (producer, DJ) and Ra Black (vocals, lyrics) are back in full effect with their new dance-track “Midnight”, this follows their first single “Hula Hoop 8000” in anticipation for their 4th studio album which is to be released before summer. For the Australian but London based group, their new material is filled with pop-dance feels, all tied in with catchy lyrics and synth-dominated melodies. Seeing the reaction to “Hula Hoop 8000” and the anticipation/movement behind “mid:night”, we can expect these guys to be making noise in the summer.   The first single Hula

NOS Primavera Sound : Os Nossos Favoritos

Já não falta muito para que o frio, a chuva e os dias cinzentos invernais deixem de ser uma constante preocupação. Assim, teremos de esperar até ao dia 20 de março para que a primavera, contando com a ajuda do sol e com o desabrochar das flores, se afirme incontestavelmente. Mas a data do equinócio interessa apenas aos que seguem o mundo da astronomia porque, para aqueles que seguem atentamente um outro universo – o musical –, a primavera terá o seu começo «oficial» no dia 7 de junho no Parque da Cidade, no Porto, com o início do NOS

The Neighborhood’s new self-titled album: How two EPs transformed the band’s music

September 21, 2017: Hard Hard, The Neighborhood’s first EP after their 2015 album Wiped Out!, hits the billboards with a gloomy, melancholic sound that brings back the hazy tracks of 60’s psychedelic rock. This came with no warning, surprising fans all over the world. Their typically alt-rock foundations shaken by a deeper, darker musical twist, exploring lead singer Jesse Rutherford’s identity and aspirations.   January 12, 2018: To Imagine Four months after their unexpected return, the Californian band adds to their fans’ confusion by releasing another EP, To Imagine. Same number of songs as in Hard, but this time the

TIPO – “Novas Ocupações”

TIPO materializou-se hoje pela primeira em formato álbum e não podíamos estar mais contentes com esta notícia. Tínhamos vindo a ouvir algumas amostras muito prometedoras que não foram tímidas em também aparecer na rádio. Tudo isto poderia parecer raro, não fosse o TIPO o projeto a solo de uma cara já nossa conhecida. Salvador Menezes, dos You Can´t Win Charlie Brown trouxe consigo Afonso Cabral e a sua guitarra acústica de aço que já nessa banda soa a muito mais do que qualquer outra acústica, o experiente e talentoso Tomás Sousa na bateria que também toca com Francisca Cortesão nos

Rua Direita lançam novo Single “Para Sempre”

Resulta de um convite feito a Pedro de Tróia para escrever uma letra que casasse na perfeição com o universo pop, fresco e familiar da banda, uma letra que tivesse tanto de bela e como de singela. E de um inesperado encontro acontece a canção que reúne todos os elementos característicos do power-duo da cidade do Lis.” “O videoclipe esteve novamente a cargo de Gonçalo Portugal Guerra que, desta vez, mergulhou no filme de 1924 “Sherlock Jr.” para arriscar uma montagem peculiar. Buster Keaton, Donato Rosa e Paulo Ladeiras aparecem assim juntos na mesma película, separados por intertítulos adaptados a

Tremor – Ou Quando a Ilha é o Recinto

Um Festival nem sempre tem um tema. Raramente toma em conta a sua localização na curadoria e muitos menos puxa pela comunidade para fazer parte do mesmo. E mesmo assim a presença do artista, com amigos para partilhar a experiência e uns quantos copos de plástico a acompanhar fazem a noite. Agora imaginem se o festival se quisesse incorporar na sua geolocalização, enquanto motiva a sua população e tem todo uma mensagem a transmitir? Com o Tremor já tivemos quatro forte exposições do que esta última aproximação ao que pode ser um festival pode não só ser sustentável como obviamente